Os centros de empregos vão ter um interlocutor para acompanhar as pessoas inscritas e sinalizadas como sem-abrigo e “gestores de carreira” para os casos “mais complexos”, anunciou o